Sem Título 18“O Espada a Rasto” é a fantasiosa personificação criada pelo povo ao incógnito oficial, alferes de cavalaria que em plena guerra civil de 1834, surge em Santo Tirso

 

 

 

Notícia

“ O Espada a Rasto” é a fantasiosa personificação criada pelo povo ao incógnito oficial, alferes de cavalaria, que em plena guerra civil de 1834, surge em Santo Tirso com determinada missão de âmbito militar que, sem a levar a cabo, optou por uma outra, bem mais do seu agrado: apresar, em benefício próprio, a extensa propriedade da quinta de Geão.

Ao longo de 366 páginas, o autor narra os embaraços do seu empenho em separar a realidade da fantasia, bem como as dificuldades da pesquisa que fez sobre as desconhecidas origens do alferes.

Por consequência, “O Espada a Rasto” não é apenas um romance de ficção histórica, é um pequeno tesouro da tradição oral. As novas gerações pouco ou nada têm valorizado as “lendas” e, por tal constatação, este livro vem ajudar a que não sejam completamente esquecidas.

O romance “O Espada a Rasto”, foi publicado recentemente em parceria com a Editora Chiado Books e encontra-se à venda on-line, nas lojas Chiado, FNAC e em e-book.

Da biografia de António Assunção, bancário reformado do Santander Totta consta a colaboração em revistas e jornais sobre história local e regional.

Em termos literários, foi 2º classificado no Concurso Literário de Tema Queirosiano, comemorativo dos 150 anos de nascimento de Eça de Queirós, em organização com a Associação Poveira de Colecionismo e a Câmara Municipal de Póvoa de Varzim.

Santo Tirso, 25/06/2019

António Assunção

Fotografia do autor

Foto eu2